A magia do videogame acaba?

Este post não serve para dizer que a graça do videogame acabou, e, sim, pra dizer pra você não deixar a graça acabar! Boa leitura.

Você, uma criança escaramuçadora, oito anos, acabou de comprar seu Super Nintendo… sem pensar, coloca a “fita” do Super Mario e senta no seu sofá, o copão de achocolatado e o misto quente já não têm mais importância. Você está olhando, fixo, na tela da TV com o controle na mão, o momento é mágico e ficou gravado até hoje em sua memória.
A cada fase que você passa, os inimigos criam vida, você fala com eles (gritando, maioria das vezes), brinca, tem medo… você imagina coisas incríveis sobre os próximos níveis, cria suas próprias lendas, tenta coisas inimagináveis…
Esquece.
Você, agora, é um cidadão de meia idade, pega seu Xbox 360 e coloca um jogo com gráficos realistas, histórias incríveis, mecânicas trabalhadas e sons estremecedores. Senta na merda do sofá, toma mais um gole de cerveja, coça o saco e aperta Start. O jogo começa, você pouco se importa. Os gráficos são incríveis, mas você já viu coisa melhor, então nem liga pra isso. Você joga por uma meia hora, não possui expectativa nenhuma, não gosta e desliga o console.

Não é 100% dos casos, obviamente. Mas será que a magia de jogar de antigamente acaba? Será que se você pegar o seu Mario 64 hoje vai lembrar de como ele era ou vai ficar reparando nos polígonos quebrados? Talvez seja porque você já jogou muito ou porque tem uma percepção maior de erros (ou porque você é chato, mesmo… né, Guigo?). O fato é: dificilmente sai um jogo que é mágico, hoje em dia. O último que me trouxe a sensação foi Bioshock, mas não chegou nem perto da minha primeira vez em Goldeneye.

E você, leitor? Qual foi o último jogo que realmente te fez sentir bem? Talvez você imagine os quebra-cabeças de Portal ou os gráficos de Crysis, não é isso. Estou falando de magia, aquela sensação gostosa de pegar algo e jogar sem saber o que esperar… Aliás, isso me lembrou de um ponto importante, o excesso de informação.
Não, eu não estou indo contra se informar sobre os seus jogos. Isso é um blog, aliás, blogs informam! Mas não tem como mentir que alugar aquele jogo obscuro e descobrir que o tal era perfeito era uma sensação boa… claro, de vez em quando vinha algumas pérolas indesejáveis… isso não vem ao caso…

A dificuldade nos jogos também é um ponto interessante. Quando você via aquele inimigo complicadíssimo no Ninja Gaiden já se desesperava, sabia que seria complicado derrotar ele, era um inimigo esperto e rápido. Hoje você joga Ninja Gaiden 2, vê bosses insanos aparecendo, luta com ele e se ele for difícil é devido à programação. Viu? A graça está nos detalhes.

Comente aí qual foi o seu último jogo mágico. Você vai lembrar como a magia se deteriora. Tente, se você não conhece, pegar Shadow of the Colossus ou Ico, talvez um Dragon Quest ou qualquer Final Fantasy por aí… tente repetir as suas sensações gostosas e não deixe a graça de jogar videogame se acabar. Boa jogatina, galera, sorte aí nos jogos que virão!

Anúncios

9 comentários sobre “A magia do videogame acaba?

  1. bom… você tá querendo impor a sua percepção de criança!

    po cara, qdo comecei a jogar MARIO foi mágico, mas eu tinha um amigo marmanjão que curtia games e nunca viu graça em MARIO, mas adorava MEGA MAN (q era graficamente superior e bem mais desafiador).

    eu tenho espírito de criança! Eu vejo magia até qdo jogo GEARS OF WAR, eu simplesmente COMPREENDO O JOGO e VIAAAAAJO!!!

    talvez por isso algumas pessoas não tenham gostado de LOST PLANET, enquanto eu me esbaldei naquelas batalhas insanas com robôes e chefões enormes! O coração batia mais forte de alguma forma!

    até SONIC UNLEASHED nas partes do SONIC é algo encantador! Eu vejo aquele bixo correndo naquela velocidade e tenho orgasmos!

    o segredo está EM VOCÊ e não no jogo! Pessoas cretinas tendem a valorizar jogos como CALL OF DUTY e principalmente HALO, q são concepções estupidas e fórmulas de jogo “mamão com açucar”, talvez por isso não deram muito valor ao BANJO KAZOOIE NUTS & BOLTS que é um jogo que mexe com a nossa imaginação!

  2. “Você, agora, é um cidadão de meia idade, pega seu Xbox 360 e coloca um jogo com gráficos realistas, histórias incríveis, mecânicas trabalhadas e sons estremecedores. Senta na merda do sofá, toma mais um gole de cerveja, coça o saco e aperta Start.”

    Essa parte ficou patética. Agora porque você é um “cidadão de meia idade” você tem que ser essa coisa patética que você descreveu? Beber cerveja e coçar o saco? Que estereótipo ridículo de homem de meia idade.

    • Estereótipo? Não vi nenhum estereótipo, apenas um exemplo… eu cheguei a citar, também, que qualquer criança era daquele jeito? Não estou lembrado…^^

      • É claro que é um estereótipo. Por que você não disse então: “Você, um cara de meia idade, já com sua casa própria, ao invés de ver seu jornal, senta no sofá e liga seu videogame.” Mas não, falou da “velha cervejinha e da coçada no saco.”Claro que você falou de um cara de meia idade estereotipado. Só faltou falar que o cara brigava por causa de futebol e cuspia no chão.

        • Então apenas entenda que aquilo não foi uma insinuação, tentando empurrar que você é, realmente, um homem assim. Entenda esse você como uma pessoa lírica, que é apenas usada para representar uma situação. Logicamente, é um estereótipo, mas não ofende ninguém e não deveria ser apontado como um erro.

  3. sinceramente, eu sou o cara do xbox 360 com cerveja na mão jogando CoD 4 online, mais um jogo que me resgatou pros tempos de mlk de SNES, super mario world, zelda, the lost vikings, foi Braid, ele é perfeito.

  4. Que texto mais ESCROTO cara!!! Putz, sem noção, vc tem quantos anos, 13? ate meu primo de 13 anos tem mais maturidade e mais noção de comportamentos eque vc cara, viva mais, estude mais e pesquise muiiiiiito mais antes de fazer um textos desses!!

    • Difamações… uhum, checado…
      Raiva ao digitar, checado…
      Comparações, checado…
      Argumentos… hm… argumentos, argumentos… puts, não achei nenhum!

  5. COD4. Fiquei um bom tempo sem jogar os jogos novos de tiro, nunca tinha visto nada tão imersivo, emocionante e interessante.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s