Lost Planet a CINCO DÓLARES no Steam!!!

É isso, só uma nota rápida. O STEAM, loja virtual de games da Valve (produtora de games como Half-Life, Half-Life 2, Portal…) está oferecendo um baita desconto DANDO o game Lost Planet: Extreme Condition. É como diz o título do post: CINCO DOLETAS, aliás, US$4,99 pelo jogo ORIGINAL.

Fiquem com um vídeo do game e vejam se vale ou não a pena.

 

 

Eu já comprei, to esperando o download terminar pra jogar. Déreau, mano, é o preço de um jogo pirata aqui no Brasil. E agora, qual é a desculpa?

(Edit: Lembrando que a promoção é por tempo limitado. Só até esse domingo, 1º de março.)

Vi no MeioBit Games.

A crise, explicada.

Ah, a crise. Todo mundo vem falando nela ultimamente… Alguns dizem ser só uma balançadinha na economia, outros dizem ser o Armageddon! O fato é que há empresas quebrando aos montes, demissões em massa, juros e taxas subindo e cortes de gastos pra tudo quanto é lado. Um problema cabeludo!

Para ajudar a entender melhor o que é essa crise, e como ela aconteceu, no Fórum do MeioBit eu encontrei um vídeo que explica tudo, de uma forma fácil para que todos entendamos.

Segue aí, em inglês, dividido em duas partes:

Resumindo, em texto:

Segundo Jarvis, os donos das casas (Home Owners) estavam felizes pagando suas hipotecas, or corretores hipotecários (Mortgage Brokers) ganhando suas comissões, os banqueiros investidores (Investment Bankers) recebendo dos donos das casas o dinheiro referente às hipotecas e aplicando esse dinheiro em investimentos, que eram vendidos a outros investidores. Tudo tranquilo, todo mundo ganhando dinheiro. Até que…

Os investidores, felizes com o montante de dinheiro crescendo, pedem ao banqueiro mais investimentos onde aplicar seu dinheiro, o banqueiro pede mais hipotecas, mas o corretor não consegue encontrar mais aspiantes a donos de casas. Todos que tinham condições de contrair uma hipoteca, ja têm uma!

Então todos têm uma ótima idéia: baixam os requisitos necessários para se contrair uma hipoteca, atraindo mais compradores!

Aí que foi a derradeira. Com empréstimos mais fáceis de se conseguir, muita gente que não tinha condições de comprar sua casa, comprou uma. E depois, não pode pagar. Nesse ponto, o banqueiro, que ao invés de ter uma hipoteca gerando dinheiro para ele, passa a ter um imóvel estático. Mau negócio, então ele põe esse imóvel à venda. Mais e mais moradores deixam de pagar suas hipotecas, o que dá ao investidor mais e mais imóveis. Ele não quer imóveis, quer dinheiro, então os põe no mercado, gerando uma oferta imensa de imóveis, maior do que a procura.

Como sempre, quando a oferta é maior que a procura, os preços caem. Pessoas que continuam pagando seus 200 ou 300 mil em hipoteca percebem que o imóvel sendo comprado já não vale mais tudo aquilo, e no fim das contas temos um banqueiro investidor com um monte de imóveis desvalorizados. Ele tenta passar a bomba para outros investidores, que a recusam também, pois já têm centenas de outras bombas nas mãos. Corretores ficam desempregados, e o sistema financeiro todo congela.

Por fim, o investidor liga para o dono da casa e informa que seu imóvel não vale nada, e aí podemos ver a forma cíclica como a crise evolúi.

E a partir daí, estamos por ver. Que fim essa crise nos reserva? Sintam-se à vontade para deixar suas projeções, percepções e teorias nos comentários.

Convivência Online

Há 2 dias nós recebíamos 6 visitas diárias, ontem recebemos quase 300, parece que o blog do Guigo fez sucesso! Nós nos tornamos o segundo blog que mais cresce no WordPress e conseguimos aumentar o número de visitas em 4800% em um único dia! Agora sim vamos fazer este blog explodir postando o melhor que pudermos! Espero que apreciem o texto!

Ontem mesmo estava jogando Call of Duty 4 online e, com a minha querida sniper, vi longiquamente meu companheiro sendo atacado pelas costas. Completamente sem balas a única coisa a ser feita seria dar a notícia a ele… Facilmente eu poderia ter avisado o infeliz, se o nome dele não fosse “(-_-)”!!! Como eu o chamaria? Vi o imbecil levar um tiro de Shotgun na nuca, que poderia ser facilmente evitado se ele tivesse um nome legível! Eu, por exemplo sem usei e usarei o nick Muthdra em qualquer jogo online, é legível e rápido de ser falado… Você não precisa demonstrar que tem o conhecimento total sobre o teclado para ser bom no multiplayer!

Não somente isso, existem muitas outras atrocidades que acontecem no mundo online. Os Hacks/Cheats estragam a felicidade de quaquer jogador. Há algum tempo fui conhecer um jogo que todo mundo falava, não suportei a curiosidade e joguei Gunbound… eu levava tiros impossíveis, pessoas ganhavam toneladas de dinheiro a cada ataque… isso tirou totalmente a graça do server… desisti de jogar o jogo em 2 horas sem sucesso de achar um server divertido.
Quase a mesma coisa aconteceu com vários jogos de FPS, onde eu não podia matar o meu inimigo, sempre levava headshots fisicamente insanos, pessoas sabiam onde eu estava através das paredes e em alguns casos eu fui até proibido de me mover…

Outro enorme problema em um jogo online é a noobfobia, onde os mais experientes acabam zoando os que começaram agora e isso quebra toda a empolgação da pessoa… por exemplo, quando estou jogando Left 4 Dead o botão para sair imediatamente do jogo é o F10, assim quando o novato pede algo como “Qual o botão para curar?” vem o demente e diz “F10, cara” e o pobre sai involuntariamente do jogo…
Imagine você, começa a jogar um jogo que você não sabe nada sobre, pede como faz pra curar e acaba recebendo uma “ajuda” que te faz sair do jogo… compare isso com uma ajuda que realmente te ensinasse a jogar melhor. Realmente, você entenderia mais o jogo, ficaria mais feliz e teria uma admiração maior por quem te ensinou doque se o cara te desconectasse, certo?

Os problemas continuam, eu não poderia deixar de falar nos baderneiros. Você tá lá jogando um Gears 2 na Live, atiranto e tal e do nada alguém começa a cantar Billie Jean! WTF? Tipo… sério… não dá!

Todos estes problemas podem ser evitados se você não cultuar eles. Se você for jogar algo online tente não ser mais um que só vai lá para encomodar os outros! Uma piadinha aqui, um “PWNED” ali sempre é legal, mas seeeeeeempre temos que ficar dentro dos limites. Espero que isto concientize um pouco a galera e faça nossos multiplayers ainda melhores!

Como que Crackeia?

Bom, isso me deixa realmente mal… agora há pouco emprestei o meu querido Mafia original para um amigo meu, que sempre tá aí pra me ajudar… 30 minutos apóis o acontecimento, tempo de instalar o jogo, recebo uma mensagem do nosso querido companheiro:

“Ô! Como que faz pra crackear o Mafia???”

Pra quem não sabe, crackear é o termo brasileiro para burlar a segurança dos jogos e conseguir rodar normalmente jogos piratas. O infeliz não sabia que jogos originais não precisavam disto pois ELE NUNCA HAVIA VISTO UM JOGO ORIGINAL!!! Sim, a qualidade de um produto original, o deleite até para o olho do mais desatento, a felicidade de qualquer nerd que se preze. Assim eu pensei: Meu amigo, que tem um PC legal em casa, uma TV no quarto, pais trabalhando e tudo mais, não se importa em comprar um jogo original… prefere deixar o computador ligado por uma semana completa baixando o arquivo de instalação a ir comprar o jogo original, sem complicações, com uma caixa legal e tudo mais…

O brasileiro é um bicho muito imbecil mesmo, nunca pensa na produtora do jogo e nem se quer pensa que HÁ ALGUÉM FAZENDO A PORRA DO JOGO!!! Alguns dizem que o problema é no preço, mas você realmente acha que os anos de produção de uma mídia não merecem seu dinheiro? Eu não vou me fazer de santo e digo: Eu jogo jogos piratas, sim! Mas quando consigo comprar um jogo original, faço-o sem pestanejar, saindo feliz da loja com tudo oque eu tenho direito, por uma taxa que nunca me fez arrepender.

Se você está lendo isto e acha que é um gamer, pense melhor na próxima vez que for comprar um jogo. Procure sempre por originais, aproveite todo o potencial de uma mídia para o total proveito, orgulho e, mais importante, diversão!

Mais 10 coisas ilícitas que fazemos diariamente

Mais um cabeludo!

Bom, eu não sou tão cabeludo, mas estou vindo pro blog e resolvi me chamar assim…

As pessoas decidiram que eu seria chamado Gabriel Kwiecinski Antunes pra toda a minha vida, infelizmente eu fui registrado com este infeliz nome que soa ridiculamente mal no meu idioma preferido:  Inglês… já que eu não gosto muito de ser chamado assim, me chamem de Muthdra, que sôa muito mais cool e que deve ser pronunciado como Mudra”, apenas… com uma leve enrolação de língua entre o U e o D.

Eu escreverei primordialmente sobre Video Games e eu venero cada pequeno Miyamoto que me apoiar com isso! Meus textos geralmente são extremamente longos e detalhados, com excessivas reticiências no final das frases…

Espero que gostem da minha participação, galera. Estarei postando o máximo que puder, sempre do meu jeito: Com um português incorrigível, humor deturpado, sarcasmo e opiniões muito contraditórias…

FALOU!!!

MPB – M#@% Popular Brasileira

Há diversas coisas na população brasileira que me irritam: hipocrisia MASTER, o tal “jeitinho brasileiro”, quantidade absurda de salsinhas (tm Cardoso), e mais uma lista “inoxidavelmente” grande.

E a música. (Ou o que chamam de música.)

Sejamos honestos, o leque da (assim chamada) Música Brasileira é incrivelmente diversificado. Temos desde “Dako é Bom” até “Créu”, com direito a Mulher Melancia, Pêra, Abacaxi e todo o resto das frutas que a Carmen Miranda usava na cabeça e até alguns extras tipo “Mulher Filé”. Some isso aos “Strondas”, “piranhas do banheiro” e outras músicas vazias e que mandam “balançar o cu” (sério, existe) e por fim, às paródias de mau gosto de músicas estrangeiras tipo “Festa no Apê”, que chupinha descaradamente toda a melodia de Dragostea Din Tei, do O-Zone, e tantas outras, que por falta de “tato musical” (???) criam uma letra aleatória qualquer, tascam o ritmo de uma música que esteja fazendo sucesso e se dizem músicos. E acaba com coisas como ESSA:

 

Pombas! Cadê o pessoal do naipe de Tom, Elis, Vinícius?!?! A Música Popular Brasileira de verdade? Foi só uma época, e já acabou? Pior que não. Pior é que ainda tem gente fazendo música boa no Brasil, mas não faz uma fração do sucesso que esses “manos” fazem com uma música de 3 versos, escrita em 15 minutos.

Creio que a música brasileira atual seja apenas um retrato do público alvo que ela atinge, e que infelizmente, é maioria.